La lontananza

Lisboa da minha saudade
(Eduardo Olimpio - Arlindo de Carvalho)

Sonhando andei por Lisboa
lembrando tempo passado
o dorso duma canoa
a doce mgoa do fado

E a rosa da madrugada
que no me quis namorado
algum da noite cantando
e a lua espreitando
num velho telhado

Um cheiro a jornais
o peixe no cais
um cu sem idade
esta a Lisboa
da minha saudade

Preges matinais
que acordam pardais
num hino cidade
esta a Lisboa
da minha saudade

Lisboa das caravelas
com brancas velas
em orao
cidade noiva do fado
que eu amo e trago
no meu corao

Lisboa de quando havia
gaivotas em consoada
num Tejo azul que parecia
feito de prata lavrada
lembranas de quem partia
nos olhos da madrugada
e a proa duma traineira
bailando ligeira
em cada largada

Per scaricare il brano in MP3 cliccare sul titolo

Santa Lucia luntana
(E.A.Mario)

Partono 'e bastimente
pe' terre assaje luntane...
cntano a buordo: s napulitane!
Cantano pe' tramente
'o golfo gi scumpare,
e 'a luna 'a miezo 'o mare
'nu poco 'e Napule,
lle f ved...

Santa Lucia!  luntano 'a te,
quanta maluncunia
si gira 'o munno sano,
se v 'a cerc furtuna...
ma, quanno sponta 'a luna,
luntano 'a Napule nun se po' st.

E snano... ma 'e mmane
trmmano 'ncopp''e ccorde...
Quanta ricorde, ahimm, quanta ricorde!
e, 'o core nun 'o sane,
nemmeno cu 'e ccanzone
sentenno voce e suone,
se mette a chiagnere
ca v turn.

Santa Lucia! luntana 'a te...

Santa Lucia, tu tiene
sulo 'nu poco 'e mare...
ma, cchi luntana staje, cchi bella pare...
E' 'o canto d''e Ssirene
ca tesse ancora 'e rrezze
core nun vo ricchezze:
si 'e nato a Napule
ce vo muri!

Santa Lucia! luntano 'a te...

Home Page | Presentazione | Rassegna Stampa | Album Photo | Libretto di sala | Spettacoli